Notícia, Reportagem

A responsabilidade do usuário nas operações de Pix

Compartilhar
FacebookLinkedIn
Voltar

O Pix é um sistema de pagamento instantâneo que, em regra, não permite estornos após a conclusão da transação – especialmente quando há a necessidade de intervenção de terceiros alheios à operação. Apenas na modalidade de Pix agendado é possível cancelar a operação, o que difere do pagamento à vista, realizado de forma instantânea.

Se um Pix for enviado para a pessoa errada, o usuário pagador deve contatar o recebedor para solicitar a devolução do valor. A instituição financeira, nessa hipótese, não é obrigada a realizar o estorno, pois a operação foi realizada de forma voluntária, por pessoas capazes.

Nosso sócio Feliciano Moura tratou do tema em entrevista ao portal Inteligência Financeira:

“Todo bônus, traduzido na facilidade e simplicidade do Pix, impõe ao usuário um único ônus: a responsabilidade pelo seus próprios atos. Não seria minimamente razoável que um pagamento feito à pessoa errada pudesse ser estornado pelo banco, que sequer é partícipe da operação realizada pelas partes.”

Assim, apenas em casos de fraude ou golpe, o MED (Mecanismo Especial de Devolução), estabelecido pelo Banco Central, pode ser acionado para tentar reverter a operação.

Para saber mais, clique aqui.

Relacionadas

Informativo, Notícia

Congresso rejeita trechos da Medida Provisória do Equilíbrio Fiscal

ARISTÓTELES DE QUEIROZ CAMARA
Continue Lendo

Informativo, Notícia

Publicada Medida Provisória do Equilíbrio Fiscal

ARISTÓTELES DE QUEIROZ CAMARA
Continue Lendo